Monthly Archives: Setembro 2013

A importância da qualidade do ar interior

Esta semana ouviu-se falar dos ambientadores domésticos nocivos para a saúde, caso não esteja a par desta notícia pode encontra-la aqui ou aqui ou aqui, entre outros sites.

Hoje pretendo não falar apenas desta notícia, até porque nos links referidos em cima pode encontrar imensa informação sobre a nocividade destes ambientadores para a saúde. Assim pretendo apenas informa-lo sobre outros produtos que usamos no nosso dia-a-dia e que contaminam o ar das nossas casas trazendo posteriormente diversas consequências para a nossa saúde e, deste modo, leva-lo a ter em atenção a qualidade do ar interior, visto que mais de 95% do seu tempo é passado em locais fechados (residências, escritório, escolas, meios de transporte, repartições públicas, etc).

Tudo o que gere partículas pode ter efeitos na sua saúde, principalmente as partículas mais finas, uma vez que estas podem transportar substâncias tóxicas (sulfatos, nitratos, metais pesados e hidrocarbonetos) para as vias respiratórias atingindo os alvéolos pulmonares, provocando dificuldades respiratórias e por vezes danos permanentes. Temos como exemplo o fumo do tabaco e de lareiras, mas também alcatifas, estofos e tecidos podem contribuir negativamente para a sua saúde uma vez que libertam partículas e são também bons acumuladores de microorganismos.

Vários produtos que usamos no nosso dia-a-dia, como produtos de limpeza e de cosméticos contêm formaldeído. Este composto pode provocar cancro, além de irritação ocular, edema pulmonar e danos no tracto respiratório.

Também as tintas usadas nas paredes de sua casa ou do seu local de trabalho, assim como papel de parede de vinil, estuques, tapetes, alguns soalhos e móveis, libertam COVs (Compostos Orgânicos Voláteis), estes podem levar a náuseas, irritação ocular, leucemia, cancro da pele e do pulmão.

Como pode ver, há muita coisa que afecta a qualidade do ar interior e a qualidade deste é bastante importante para o nosso bem-estar e saúde. Assim passe a ter mais atenção aos produtos que usa em sua casa, pois muitas vezes achamos que estamos a “limpar oar ou a nossa casa”, quando na realidade estamos é a piorar a qualidade do ar da nossa casa! Por isso vou-lhe deixar um conselho bem simples, procure renovar o ar da sua casa, mas também não exagere criando correntes de ar =)

Adquira este novo hábito, tenha em atenção a qualidade do ar interior!

Image

fonte da imagem: images.google.com

fonte: conhecimentos adquiridos

Anúncios

Ruído, um problema ambiental e da saúde.

Antes de avançar para os problemas do ruído, é importante informar que existem várias categorias de ruído, são elas, ruído no interior dos meios de transporte, ruído proveniente de actividades domésticas, ruído dos veículos e infra-estruturas rodoviárias e ferroviárias, ruído de aeronaves,  ruído de equipamento industrial e de exterior e maquinaria móvel.

Sabia que o ruído é um dos principais problemas ambientais na Europa?

A importância desta problemática deve-se aos efeitos nocivos para a saúde e bem-estar resultantes da exposição ao ruído ambiente. O efeito que o ruído tem na nossa saúde não é apenas a perda de capacidade auditiva, alias, os efeitos do ruído podem ser divididos em três categorias: (1) Efeitos psicofisiológicos, (2) Efeitos individuais, e (3) Efeitos sociais.

Como exemplo de efeitos psicofisiológicos temos a perda de capacidade auditiva que tanto pode resultar em surdez permanente ou em surdez transitória. O tipo de surdez depende das exposições ao ruído e da intensidade do mesmo. Outro exemplo é a perturbação do sono que pode levar à impossibilidade de dormir, ao despertar ou à diminuição da qualidade do sono, tendo como consequências: stress, problemas no sistema cardiovascular, digestivo ou imunológico. Também a exposição a ruídos intensos contribui para dores de cabeça, náuseas, instabilidade, irritabilidade, ansiedade, impotência sexual e alterações no afecto ou humor.

Como pode constatar pelos efeitos psicofisiológicos resultantes da exposição ao ruído este é realmente um grande problema para o bem-estar e saúde. Existem ainda mais efeitos que se encontram nas outras duas categorias, mas que não vou aqui enumerar, mas caso tenha curiosidade não hesite em perguntar 🙂

Devido aos efeitos na saúde e bem-estar, foi criada a Directiva 2002/49/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, que tem como objectivo evitar, prevenir e reduzir os efeitos prejudicais da exposição ao ruído ambiente. Trata-se de uma directiva que abrange apenas as principais fontes de ruído, por forma a proteger os receptores sensíveis ao ruído, tais como habitações, escolas, hospitais, áreas verdes protegidas, etc. No âmbito desta directiva tornou-se obrigatório em determinadas zonas de interesse a elaboração de mapas de ruído estratégico.

Através de um Mapa de Ruído de um determinado concelho é possível ter uma noção da distribuição do ruído desse mesmo concelho. Suponha que está a procura de casa, será que a rua onde está à pensar vir a morar não será demasiado barulhenta tendo posteriormente consequências na sua saúde e bem-estar?

Adquira este novo hábito, observe o mapa de ruído da sua zona de residência.

Ah, e se pensam que esta questão do ruído são “modernices”, fique a saber que em 44 a.C., Júlio César proibiu as carroças durante a noite em Roma 🙂

Image

fonte da imagem: images.google.com

fontes:

Conhecimentos adquiridos

Directiva 2002/49/CE do Parlamento Europeu e do Conselho

Decreto-Lei n.º 146/2006, 2006